Real desvalorizado: prós e contras para a indústria

    14/09/2015

    Dia após dia, o real perde valor frente ao dólar. O mês de setembro começou com a moeda norte-americana cotada em R$ 3,75 (dólar comercial), e as casas de câmbio chegaram a vender por R$ 4,20 o dólar turismo. Será que esse cenário não nos oferece nenhuma perspectiva positiva?

    A verdade é que o real depreciado pode melhorar a competitividade dos produtos nacionais no mercado interno. Se antes os chineses eram imbatíveis no quesito preço, agora os manufaturados domésticos podem se tornar uma opção mais interessante. Exemplo: um fabricante de cosméticos que importava da China seus frascos de xampu poderá começar, agora, a preferir a opção nacional.

    O mesmo acontece com as exportações. O novo cenário cambial “barateou” as mercadorias brasileiras no exterior. Neste cenário, todo o segmento industrial, o que inclui o setor de transformados plásticos, pode aproveitar a oportunidade para colocar seus produtos com mais força no mercado externo.

    Infelizmente, na hora de importar, as desvantagens se apresentam. O dólar apreciado encarece a importação de insumos, principalmente das resinas termoplásticas.

    Próximos Eventos

    WEBINAR PERSPECTIVA DO MERCADO DE RESINAS NO BRASIL

    02/12/2020 - ONLINE

    Saiba Mais

    © 2018 - ABIPLAST - Associação Brasileira da Indústria do Plástico - Todos os direitos reservados.