ABIPLAST E ABDI APRESENTAM RESULTADOS DE PROJETO DE LOGÍSTICA REVERSA

    01/02/2022

    Webinar terá conclusões sobre modelo de gestão de resíduos sólidos urbanos,  fruto de convênio entre as duas organizações

    O Brasil gera 80 milhões de toneladas de resíduos por ano e ainda conta com 2.408 aterros e lixões recebendo resíduos. Atentas a essa realidade, a ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e a ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), elaboraram um modelo de gestão de resíduos sólidos urbanos (RSU) para aperfeiçoar as operações em funcionamento no país e difundir as melhores práticas em logística reversa de RSU. Os resultados serão apresentados em webinar na próxima quarta-feira, dia 2 de fevereiro, a partir das 14h30.

    A proposição de modelos de negócios é fruto de um convênio formalizado entre a Abiplast e a ABDI em 2020. Com a implementação, a expectativa é de que haja redução dos resíduos descartados nos lixões e aterros das cidades, além do desenvolvimento de novas tecnologias de coleta e processamento de resíduos.

    A primeira cidade utilizada como estudo de caso foi Barueri (SP). As outras duas localidades foram Guarulhos e Cajamar, também no estado de São Paulo. Guarulhos é um grande município, com complexidades de uma cidade grande, não conta com 100% de coleta seletiva, tem alto índice de informalidade do sistema de triagem de resíduos, baixo engajamento da população e baixo investimento do poder público e da iniciativa privada, apesar de metas de ampliação até o final de 2022. Já Cajamar, um município de pequeno porte, que não tem coleta seletiva, é uma folha em branco.

    Antes de elaborar a modelagem, os técnicos envolvidos no estudo realizaram um benchmarking em localidades em que os modelos e experiências de logística reversa estão funcionando. O objetivo é buscar iniciativas e soluções que possam inspirar o Brasil, ainda que eventuais adaptações possivelmente sejam necessárias, para adequar as soluções ao cenário do país.

    José Ricardo Roriz Coelho, presidente da ABIPLAST, destaca que o projeto entre ABDI e Abiplast se diferencia de outros por envolver diferentes atores da cadeia de gestão de resíduos sólidos urbanos. “Além do poder público e da iniciativa privada, o modelo que propomos abrange as principais cadeias de resíduos, como papel/papelão, plástico, alumínio, vidro, sem esquecer de cooperativas de catadores de triagem de recicláveis e catadores individuais, e do consumidor. Isso permite uma visão sistêmica da gestão de resíduos”.

    Para o presidente da ABDI, Igor Calvet, é preciso fortalecer a competitividade das empresas brasileiras via ações de economia circular. “Isso com reflexos bastante grandes: tanto do ponto de vista ambiental quanto reputacional e comercial das nossas empresas.

    Por tudo isso as empresas têm tido a necessidade de reformular seus processos, seus planos e seus negócios com base na circularidade. A logística reversa, a gestão de resíduos, a economia circular, são assuntos que estão na pauta do desenvolvimento industrial no mundo todo”, afirmou.

    19 benefícios para apostar na Economia Circular

    De acordo com o modelo proposto pela ABDI, em estudo com a ABIPLAST, essas são as projeções feitas entre 2020 e 2040 no cenário em que as metas de logística reversa colocadas pelo Planares (Plano Nacional de Resíduos Sólidos) sejam alcançadas:

    1) Redução de 595 milhões de toneladas de resíduos enviados a aterro sanitário
    2) Redução na emissão de 12 milhões de toneladas de CO2
    3) Recuperação de 82 milhões de toneladas de resíduos recicláveis
    4) Recuperação de 33 milhões de toneladas de resíduos de plástico
    5) Recuperação de 34 milhões de toneladas de resíduos de papel e papelão
    6) Recuperação de 6 milhões de toneladas de resíduos de vidro
    7) Recuperação de 7 milhões de toneladas de resíduos de metais
    8) Aproveitamento de 83 milhões de toneladas de resíduos de orgânico
    9) Criação de 484 mil empregos para catadores/cooperados
    10) Criação de 115,9 mil empregos no comércio atacadista de resíduos
    11) Criação de 77 mil empregos em recicladoras
    12) Criação de 14 mil empresas no comércio atacadista de resíduos
    13) Criação de 6,9 mil empresas recicladoras
    14) R$ 35 bilhões de receita gerada pela comercialização de resíduos de plástico
    15) R$ 12 bilhões de receita gerada pela comercialização de resíduos de papel e papelão
    16) R$ 0,7 bilhão de receita gerada pela comercialização de resíduos de vidro
    17) R$ 6 bilhões de receita gerada pela comercialização de resíduos de alumínio
    18) R$ 2 bilhões de receita gerada pela comercialização de resíduos de outros metais
    19) R$ 0,7 bilhão de receita gerada pela comercialização de resíduos de orgânico

    Próximos Eventos

    Fórum Embalagem e Sustentabilidade

    28/09/2022 - On-line

    Saiba Mais

    © 2018 - ABIPLAST - Associação Brasileira da Indústria do Plástico - Todos os direitos reservados.