ABIPLAST lança PERFIL 2014 na FEIPLASTIC

    05/05/2015

    ABIPLAST lança PERFIL 2014 na FEIPLASTIC

    O estudo revela que o setor faturou R$ 59,2 bilhões, valor 6,3% menor do que os R$ 63,2 bilhões registrados em 2013. “Queda deve-se ao recuo na produção, de 6,95 milhões de toneladas para 6,71 milhões (-3,5%), à concorrência dos importados e à dificuldade de recompor preços por conta do mercado desaquecido”, analisa José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico), responsável pela elaboração do relatório.

    “O consumo aparente de transformados plásticos também caiu em 2014 (-2,6%), mas numa proporção menor do que a produção, evidenciando que parte significativa do mercado interno vem sendo suprida pelas importações, salienta Roriz, enfatizando os números: no ano passado, os brasileiros consumiram 7,24 milhões de toneladas de plásticos transformados, contra 7,44 milhões em 2013. Em valores, foram R$ 65,87 bilhões, ante R$ 69,57 bilhões (-5,3%).

    As importações de transformados plásticos cresceram 5% em quantidade, ganhando mais espaço frente à produção nacional. Em relação a 2013, sua participação no consumo aparente brasileiro aumentou 7,9%, em toneladas, e 9,3% em valor.

    Balança comercial

    As exportações de transformados plásticos recuaram de 246 mil toneladas, em 2013, para 236 mil, em 2014 (-4%). As importações cresceram de 732 mil para 769 mil toneladas (+5%). “Isso reflete o aumento da participação dos produtos importados no consumo nacional”, ressalta Roriz. Em valor FOB, a vendas externas foram de US$ 1,34 bilhão e as compras, de US$ 3,88 bilhões, com saldo negativo, portanto, de US 2,54 bilhões. Em 2013, o déficit havia sido de US$ 2,45 bilhões. O aumento foi de 3,75%.

    O preço médio do produto exportado cresceu, em reais, cerca de 10%, devido à apreciação da taxa de câmbio de 9%, com aumento de 1% no preço médio do produto em dólares. Esse pequeno ganho propiciado pela desvalorização da moeda brasileira não esconde, contudo, um dado fundamental: o coeficiente de importação do setor cresce a cada ano. Atualmente está em 13,9%, enquanto o coeficiente de exportação foi de 5,3% em 2014.

    Dados macroeconômicos

    Em 2014, 80 micro e pequenas empresas na indústria de transformados plásticos enceraram atividades e o setor registrou queda de 1,09% na geração de empregos formais, passando da terceira para a quarta posição dentre os ramos da manufatura que mais empregam no País. Esse recuo deve-se muito mais à redução no ritmo de contratação do que ao aumento do número de demissões. O setor tem hoje 11.590 empresas, que empregam um total de 352 mil pessoas.

    A grande maioria das fábricas é constituída por pequenas empresas. Há 700 de maior porte, que direcionam o crescimento e o dinamismo tecnológico da atividade e integram cadeias produtivas que produzem em escala mundial, como automotiva, alimentos e bebidas.

     

     

    Próximos Eventos

    WEBINAR PERSPECTIVA DO MERCADO DE RESINAS NO BRASIL

    02/12/2020 - ONLINE

    Saiba Mais

    © 2018 - ABIPLAST - Associação Brasileira da Indústria do Plástico - Todos os direitos reservados.