Autopeças de plástico deixam veículos mais leves, e isso é bom para o meio ambiente

    04/09/2015

    Para-choques, grades dianteiras, logotipos das montadoras, frisos, calotas, espelhos retrovisores e maçanetas: estes são alguns que, antigamente, eram feitos de metal e passaram a ser confeccionados em plástico. Produzidas a partir de plásticos como o ABS, polipropileno e poliamida, algumas dessas peças são banhadas em níquel ou cromo, por exemplo, para ganharem um aspecto metalizado.

    Imagem
    Foto: Canal Tech

    Um estudo da Associação dos Fabricantes de Plásticos da Europa, publicado na revista British Plastics, mostrou que cada veículo tem cerca de 110 kg de peças feitas com o material. E, para cada 100 kg de plástico utilizado em um carro, deixam de ser utilizados entre 200 kg e 300 kg de outros materiais. A publicação informa que essa diminuição no peso total do automóvel permite uma redução no consumo de combustível da ordem de 12 milhões de toneladas, o que se traduz em menos 30 milhões de toneladas de CO2 lançadas à atmosfera.

    Ou seja: um carro mais leve consome menos combustível, o que, por si só, já torna a solução interessante do ponto de vista ambiental. Mas existem outros pontos positivos em termos de sustentabilidade: por ser muito resistente, o plástico pode ter uma vida útil maior, e ainda tem a vantagem de ser facilmente moldável, proporcionando versatilidade ao design.

    Próximos Eventos

    WEBINAR PERSPECTIVA DO MERCADO DE RESINAS NO BRASIL

    02/12/2020 - ONLINE

    Saiba Mais

    © 2018 - ABIPLAST - Associação Brasileira da Indústria do Plástico - Todos os direitos reservados.